terça-feira, 29 de dezembro de 2009

As coisas hão de mudar

haverá um dia onde as flores brotarão dos olhos inxutos de quem nunca amou ninguém...
um dia haverá água nos poços das quintas onde nunca houve chuva.
um dia sentiremos saudade, e ficaremos felizes por senti-la
haverá remédios pra todas as curas
e todas pessoas andarão de bicicletas...
há de haver um dia onde nós "homens comuns" poderemos literalmente voar, pra tocar as nuvéns no céu, e descobrir o quão longe estão as estrelas.
E também hão de haver cogumelos mágicos pintados de vermelho e cor por todos o lados,
um rio de águas cristalinas minará das nossas casas e beberemos nossos carinhos.
haverá um dia onde todos irão sonhar.
há de chegar esse dia.
as coisas hão de mudar...
ahhh....as coisas hão de mudar.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

sábado, 5 de dezembro de 2009

Hoje nos somos obrigados- a ser feliz-...

somos heróis...e bandidos
Prisioneiros dos nossos próprios sonhos
temos vivido os dias como se fossem os últimos...
temos nos beijado como se fosse o último beijo.
temos nos olhado como se nos víssemos pela primeira vez...

quero ficar no teu corpo.
no teu colo.
no teu olhar de saudade...
no teu sorriso manhoso
nos teus beijos de despedidas.

quero ser o teu cheiro e tuas palavras doces.
quero me afundar nos teus seios me perder por teus poemas...
quero ser o teu país, a tua casa.

Hoje somos e o amanhã talvez...
Somos a cor e o desejo... a carne, a nudez...
somos um leve suspiro e o desejo outra vez.

Por todos raios e trovões
Por toda lágrima que cai
Por todos sonhos e paixões
Por todo fim de tarde que se vai...

Te quero.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

PREMIO PRA MELHOR ATOR - FESTIVAL DE CINEMA DE BRASILIA




DIEGO BORGES
ANDRÉ REIS
ALESSANDRO BRANDÃO
YURI SARAIVA
TULIO STARLING

PELO FILME DE BRUNO TORRES - A NOITE POR TESTEMUNHA -

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Anseio o querer

Hoje descobri o quanto não sei de mim...
e as margens deste pequeno frasco de imaginação fulguro-me...
É como se os amanhãs fossem domingo e eu estivesse sentado a beira da janela a olhar o comboio partir.
O que sei deixou-me. E agora tateio a dedos nús.
Como se a noite se perdesse na escuridão. Como se o frio que deixa-me calado fosse fogo em mim.
Nem em palavras me sei dizer.
Latejo por uma vontade do não sofrer.
E de querer, anseio querer. E quero.
Como um sorriso cálido que não me deixa mentir...
Sou assim, enquanto eu não souber de mim.

domingo, 15 de novembro de 2009

Não é preciso mais nada

Nesses dias chuvosos lembro-me de ti
no sentir dos pingos a janela, éramos chuva.
Como num sopro de vento nos perdíamos entre beijos
e eu voltava a sonhar.
agora éramos tempestade e ficávamos perdidos entre os desejos e a vontade.
O som suave daqueles teus sorrisos.
O cheiro doce das velas. Estávamos ali, e não queríamos estar em nenhum outro lugar.
Era como se o mundo tivesse parado pra nos assistir.
eramos o som das gotas de chuva e suor, e também o frescor das tardes de inverno.
eramos a aurora e as pegadas dos anjos na areia da praia.
e agora, somos como a chuva e o infinito e não é preciso mais nada.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Ensaio

a cidade estava insuportavél
nas calçadas todos dançavam sem música
e os carros que paravam pra olhar não se iam embora
o frio tomava conta dos becos, e a chuva fina era inevitavél.
muito ao longe se via um velho que tentava equilibrar uma garrafa de run
Uma lentidão exasperante... só um cachorro que por ali passava, parava e cosava-se com uma profunda tristeza.
O ar suburbano que contamina minhas madrugadas ja não era o mesmo.
estavamos todos nús, fumando cigarros de palha sentados no capu daquele velho opala 88 a olhar pro mar.
E assim eramos todos felizes, dentro da santa ignorância de ser feliz.
A cidade nos deixava no asfalto sem um unico gato pingado.
e entregues as elucubrações esperavamos ansiosos a chegada da primavera.

sábado, 7 de novembro de 2009

Garganta.

àgua doce, mar de nódoa.
embebeda-me com teus cálices de abraços e despedidas.
me aprofunda, e deixa-me no escuro.
faz de mim o que quiser, mas não me deixe na terceira margem do rio.
desfruta-me e diga que vai voltar, mesmo que eu passe a vida a tua procura.
Mancha sublime de paixões contidas serão minhas brumas nesta terde de novembro.
Esperarei por ti, até que a beleza irrompa na ecuridão dos afetos.

Tuas mãos.

E fogem de mim todas as solidôes
Nem o vazio que é intríseco ao homem me olha
Perdido por chão, no fulgurar incessante do meu ser
Vasculho teus sorrisos
Nem a rosa colhida no frescor da tarde tem o mesmo pulsar que me avassala
Nem o mar e toda sua imensidão de palavras não ditas, me faz sentir tão bem
É como se eu olhasse ao revés do espelho,
a sombra do meu ego desapareceu.
Leve como um pé de vento que cruzou a esquina e parou derepente
Beijo-te outra vez, pra que o frescor da púrpura beleza dos teus lábios não me abandone.
Só assim a solidão não terá mais dedos e não poderá me tocar.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009





Estréia dia 22 de novembro no Festival de Brasilia do Cinema brasileiro!

sábado, 24 de outubro de 2009

AMBIVALÊNCIA

É mas não é. PArece ali alguma coisa. Não, escapou.
O olhar agora foge pra uma especie de angustia, não agora já esta um bocado mais feliz.
E assim vai se dilatando o tempo. E ficas a olhar pra ele por horas, sem que ele mexa um músculo...
É revolucionário.
E daqui uns anos vai dominar o mundo todo.
Verás o teatro.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

é ciclico!

somos rodas gigantes.
Gigantes de tão vasta pode ser a vida.
Somos agora e amanha serão outros iguais a nós.
E outros depois deles... e outros.
E nós vamos pras coxias...pra que caras novas representem.
A vida. Um ciclo. Um tiro no escuro.

domingo, 20 de setembro de 2009

Venha daí


Em rios se afogam os dias.
As naus ja te acharam e tu não vês.
Aquelas ruas do rossio chegam em copacabana...
e tu estas perdido por cá.
E os rios enchem as almas daqueles que sonham
E tu descobres o que nada tem de valor
Foge pro recuo das aguas, mergulha no ceio de vinho.
Içar Velas! E Blá Blá Blá... Rumamos pra qualquer sítio onde possa haver horizontes.
O corpo nú dos orgulhosos, o mera fluidez dos fatos.
Olha lá vem abonança, agarrem-na com teus dentes.
E vamos todos pra além mar.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Visto com olhos de fora

Não se imagina até sentir na pele.
Tão precocentuosos esses.
aqueles olhos que te olham agora, tenho medo de si.
E nesse momento éis o único ser da terra isolado vivendo num mundo cheio onde pra mim só existe eu e o vento.
a dor do corpo não se compara a da solidão.
E aqueles olhos te olham de longe.
é como se eu nao existisse.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Show do Faith No MOre




Há coisas que nos marcam pra sempre
seja o que for
e vamos passando com o tempo
olha! passaram alguns segundos... e outros, e outros.
A vida é mais funda do que imaginamos, do que sonhamos.
É preciso ir longe!
Jogue seus planos no ventilador e deixe-se levar pelo vento
Há coisas que nunca vamos esquecer
assim é a vida
seja o que for.

Easy like sunday morning

quarta-feira, 15 de julho de 2009

sábado, 20 de junho de 2009

Coisa

Coisa estranha que me mata.
Que me sufoca e que me afaga.
Onde esconde a dor em mim?
Coisa ruim que me é boa.
Que me invade e me abençoa.
Onde se esconde?
Perto dos meus pulmões, ao longo do meu peito.
É essa coisa mais uma vez.
Não sei se me condena ou se me faz feliz.
Não me conta não, inocente e viril.
Irremediável blefe.
Coisa estranha que me invade, que me toca e me acovarda.
Já não tenho sensações e a inércia me conduz.
Não percebo mais a sinto.
Não disfarço.
Estou assim.

terça-feira, 16 de junho de 2009

SHOW EM BARRA DO GARÇAS-MT
MELHOR IMPOSSIVEL!
BANDA BONECA INFLAVEL!
VOANDO ALTOOO!

Tenho mas olhos que os do meu rosto.Tenho mais luz do que o do meu espírito.Tenho mais fôlego que minhas derrotas.Tenho mais certeza em meus passos.Tenho tudo isso, por que sou teu filho!Sou forte, pois tenho teus braços.Vitorioso, pois você me deu tua vontade.Sou honesto por causa da tua lealdade e sou rico, pois herdei tua felicidade!Já errei, mas você me ensinou o caminho.Já sofri, mas tu me consolaste com teu carinho.Já perdi, e você nunca me deixou sozinho.‘Mãe tu que és mais forte, que derrota os males, que destrói minhas dores, que me dá esperança, que me enche de amores, não larga meu pezinho. ’...te amo Mãe!

sábado, 23 de maio de 2009

Uma tentativa de fuga

Uma tentativa de fuga, um desvio.
Perco-me em seu gesto, procuro-te, meus olhos, minha face, meus olhos.
Tudo é como neste sonho, a branquidão, as pupilas... seus olhares, minha solidão.
Procuro-te.

domingo, 10 de maio de 2009

Confira o mais novo filme da Trevo do Limão Produções!

Medo do Medo

video

domingo, 3 de maio de 2009

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Futebol Histórico !!!

aconteceu hoje o primeiro jogo de :

Artes Cênicas UnB X Artes Cênicas Dulcina

A primeira partida foi interrompida aos 15 min de jogo por causa da chuva,
o placar estava de 4 para UnB a 1 para a Dulcina...
A torcida do Dulcina compareceu em peso, enquanto só uma representante da UnB se manisfestava.

será disputada outra partida na quarta feira na 116 norte!

Os dois times.

domingo, 26 de abril de 2009

José José.

video

Noite

E o dia vai-se indo como a morte... O sol fecha os olhos e a escuridão toma conta e encontra na lua a maneira de também não se perder. As nuvens horas desaparecem e o silencio é vital.
Os olhos não aquecem mais e o frio invade os lugares. Enquanto os ventos fazem curvas e mais curvas até se encontrarem.
A noite indomável nos apaga.
Vazio, vazio.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Vídeo produzido pela UFTM- faculdade de Comunicação,em 2007

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Por mais que o tempo nos separe, por mais que os raios caiam no mesmo lugar, por mais que os sorrisos não aflorem na primavera, por mais que os dias virem noites, por mais que a vida nos negue o pecado... estaremos juntos, entre reflexões e pensamentos soltos, perdidos... Entre vontade e sentimentos corrompidos...
Entre um copo ou outro de saudade estaremos sempre juntos.

05/03/09

terça-feira, 21 de abril de 2009

Se você não tem nada pra fazer... Faça Filmes!!

A Trevo do limão Produções foi criada por mim e pelo meu irmão Danilo!...Vou postar alguns dos videos feitos aqui no blog!
esse é o mais recente...

QUEM TEM PRESSA NÃO COME NEM CRU!

Onde andei

Onde fiquei perdido por tempos... minha solidão companheira me abraçava me beijava e me engolia.
Fora os devaneios, não havia amor...
Nem sonhos, nem flores... era um tabuleiro diferente onde não havia ganhador.
Os sons dos meus passos, e a esperança de dias melhores não me deixavam ficar sem rumo.
Assim caminhava, onde cada curva me levava a nada... E me perdia outra vez.
Os tempos longínquos refrescavam as gargantas da minha memória...
Essa mesma que quase lamentava em existir... em me engolir...
São horas difíceis, que custam acabar, mas acabam um dia, mesmo que esse dia demore dias pra chegar ...
E assim segui só.
Me alimentando do pó das poeiras que meu futuro deixava pra trás.

Diego Borges - 05/03/09

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Pra que mudar

O mesmo sorriso a mesma cara nas fotos
Nem me lembro mais de você.
E no final tudo da certo.
A dolorida rotina, e a mesma cara.
O jeito de fazer o mesmo sempre.
Nada mudou, mas não me lembro mais de você.
O vazio tomou conta. O ilustre se apagou e você continua fingindo.
Daquele jeito amarelado, como quem não sabe e não da o braço a torcer.
O mesmo vestido e cheiro exalado, mas não me lembro mais de você.
As frases feitas perderam o sentido e não te deixam.
Mudou tanto em tanto tempo, mas não me lembro mais de você.
No final tudo da certo.
O cabelo então! Como você mudou.
E continua sendo a mesma.
O jeito de olhar, de dizer, de andar.
Nada mudou... Só você.



20/03/09

Diego Borges

Diego Borges - Portifólio

Clips da minha Banda - BONECA INFLAVEL

Aqui estão os links dos dois clips da banda, que concorreram em festivais de Cinema e video de Cuiaba e de Alta Floresta - MT.
assistam!

Musica : Trevo do limão



Musica: Kombi 69







História da Banda




No youtube vc encontra muitos outros videos com shows da banda!

domingo, 19 de abril de 2009

Dias de Frio

Eternos são esses dias de frio

Que assolam minha’lma

Maldito vento que me rouba lembranças

Que me deixa despido de palavras

Saiba vossa mercê que hoje já não respiro

Porém, não sois o único que assim segue.

Hoje faz sombra clara,vento frio.

Quem vos beija os lábios quentes

É a brisa mesma que te molha o corpo

Bandido eis quem me levou pra cá

Quem não me dá agasalho

Quem não me deixa sonhar

Só me lembro da cara do vento

Que passou e parou pra mim

Me iludiu sem palavras

E me deixou nu de esperanças

Revirou meu baú, e levou o único pingo de ética que me restava

Eternos, malditos dias que me assolam o corpo

Dias de frio,

que agora rumam,

pra outro lugar.





Diego Borges.16/04/06 Chapada dos guimarães-mt